PROGRAMAS DE MUSCULAÇÃO

Metodologia para a montagem dos Treinos  (Parte I)

O artigo a seguir, vai tratar de como deve ocorrer a montagem de um programas de musculação, ou mais especificamente, da metodologia utilizada para essa montagem. Encontramos na literatura muitos autores que abordam as metodologias em seus trabalhos, porém poucos tratam com profundidade o assunto.

Os autores Badillo e Ayestarám (2001) sugerem que uma sequência adequada de exercícios vai causar uma adaptação maior do que se esses exercícios fossem simplesmente realizados separadamente ou aleatoriamente, sendo também o tempo de aplicação de cada método limitado, para que haja permanência de seu efeito positivo dentro de um ciclo de treinamento.

O principal objetivo do treinamento em musculação é promover adaptações estruturais e fisiológicas no organismo dos executantes. A magnitude dessas adaptações é proporcional à demanda imposta pela carga de treinamento, em que todas as formas de progressão devem ser levadas em consideração para aprimorar, de forma racional, a carga de treinamento.

Para que ocorram as adaptações necessárias, a carga de treinamento deve ser no mínimo suficiente para aprimorar o rendimento, e nesse sentido podemos encontrar grandes diferenças gritantes entre iniciantes, intermediários e avançados no treinamento de musculação. Uma das principais diferenças está ligado a sua treinabilidade, ou seja, quanto mais alto for o seu nível de condicionamento físico, menor será a amplitude de sua resposta adaptativa ao estímulo. Assim, uma das grandes preocupações está na relação à estruturação de um programa de musculação, no qual a sobrecarga progressiva, que é um dos fatores decisivos para que o aluno tenha um bom desempenho, possa trazer efeitos positivos, ou em caso negativo, haja a estabilização dos ganhos e o aparecimento de muitas lesões.

 

  1. SUGESTÕES BÁSICAS PARA O INÍCIO DE UM TREINAMENTO DE FORÇA

Bompa (2000) sugere que:

  • – Antes de desenvolver a força muscular, se desenvolva a flexibilidade – a maioria dos exercícios de força, especialmente os que utilizam pesos livres, emprega larga amplitude de movimento ao redor das grandes articulações.
  • – Antes de desenvolver a força muscular, se fortaleça os tendões e os ligamentos – o aumento da força muscular normalmente excede a capacidade de adaptação dos tendões e dos ligamentos; dessa forma, trabalhos com intensidades elevadas, de maneira prematura, ou em um curto período de tempo para adaptação, podem oferecer riscos aos sistemas de suporte.
  • – Antes de desenvolver os membros, desenvolva o tronco – os músculos do tronco funcionam como uma unidade que proporciona estabilização e, mantêm o tronco fixo durante os movimentos de braços e de pernas.

CONCLUSÃO

Está pensando em iniciar ou voltar a executar um programa de musculação, tenha consciência de que você necessita de uma adaptação tanto neural, fisiológica e estrutural de seu corpo. Para que isso ocorra, procure um profissional de Educação Física CAPACITADO. Musculação não é somente levantar pesos, musculação é ciência, ela tanto pode te ajudar e melhorar sua vida como também te trazer vários problemas físicos e posturais.

Então esqueça as cargas neste primeiro momento e priorize a amplitude e a execução de seus exercícios.

Até a Próxima!!

Mauricio Elias